4 dias no Vale do Lobo Resort, um condomínio de luxo no Algarve

Passamos 9 dias no Algarve em agosto deste ano – veja o post principal aqui – e a primeira parte da viagem foi em um resort no Vale do Lobo. Esta região é considerada luxuosa, assim como a Quinta do Lago, e muito visada e voltada para os turistas ingleses, irlandeses e franceses.

O Vale do Lobo

Escolhemos o VL porque não queríamos nos locomover muito de carro, afinal a Ju estava apenas com 3 meses de vida e achamos muito chato o tira-bota de bebê na cadeirinha. Como viajamos para a Quinta do Lago no início do ano e acabamos conhecendo o Vale do Lobo que ficava bem pertinho, achamos que era um bom lugar para fazermos os passeios a pé com os baixinhos. Sabíamos que as ruas eram calmas, limpas, arborizadas, com calçadas largas e mansões que por si só já tornariam o passeio interessante, fora as paisagens impecáveis dos campos de golfe super vazios.

Começamos a procurar hoteis antes da Ju nascer e o Vale do Lobo Resort pareceu ser uma ótima opção, pois tinha casas completas (queríamos evitar restaurantes), cancelamento grátis (fundamental numa pandemia), nota acima de 8 (critério importantíssimo para nós) e estava dentro do nosso orçamento. Pelas fotos eu achava que a infra com piscina & parquinhos era bem completa, mas confesso que me decepcionei um pouco. Vou falar mais sobre isso já já.

Dia 1 – sábado 21/08/2021

Chegamos na hora que abriu o checkin, 17h – tarde, né? -, mostramos nossos certificados de vacinação, preenchemos a papelada e seguimos para o nosso apartamento. O apê ficava no térreo de uma casa geminada de 2 andares (townhouse) e quando abrimos a porta, me decepcionei de cara com a escada entre o banheiro e a cozinha. Nada prático para uma família com uma criança de 3 anos e um bebê de 3 meses que vive no carrinho, né? 🙁

Tirando a escada, gostamos de tudo lá dentro. Ambientes espaçosos, decoração clean, cozinha bastante funcional, uma varandinha bem simpática e uns complimentary snacks que eu adorei. Fiquei bolada uma hora quando ouvi barulho de carro dentro do nosso quarto, que ficava de frente pra rua, mas depois a noite logo vi que era tranquilo porque o movimento de carros por ali é bastante reduzido a noite, ou seja, não atrapalhou nosso sono em nada.

Settling down….

Arrumamos as nossas coisas no quarto, colocamos as comidas, bebidas e lanches que levamos na geladeira e nos arrumamos para passear a pé. Pelo Google, seriam 21 minutos entre a nossa casa e a Praça do Vale do Lobo, mas acho que levamos quase 1 hora indo no ritmo do Paddy e sua bike de equilíbrio. No stress… Que caminhada agradável!

Passamos pelo campo de golfe com vista mar, paramos em um miradouro para apreciar o pôr do sol lindíssimo e logo descemos uma ladeira até a tal Praça.

Primeiro fomos ver a Praia de Vale do Lobo, muito simpática por sinal e para meu choque, super cheia. Porque eu achei que estaria vazia, né? Sei lá…rs.

Depois de uma reconhecida de área, subimos para o complexo onde encontramos o Beach Club Well e muitos restaurantes em uma praça com banda ao centro tocando músicas internacionais. Fiquei impressionada como só ouvíamos pessoas conversando em inglês…deu até saudade da nossa amada Dublin! <3

Insuflável ótimo para os baixinhos

Fomos direto para um playground bastante chamativo e pagamos 5 euros para o Paddy ficar 20 minutos curtindo o insuflável. Foi excelente para ele se divertir e gastar energia. Nós aproveitamos para descansar e escolher o restaurante do jantar.

Infelizmente, todos estavam lotados ou com mesas livres aguarando reserva. O único que nos aceitou e que tinha mesa do lado de fora foi o italiano Amore. Comemos super bem ouvindo músicas conhecidas e depois brincamos um pouco na praça com as outras crianças que lá estavam.

O cansaço foi batendo e fomos para o ponto do shuttle do hotel indicado no nosso mapa. Ligamos para o número central e pedimos um transporte até nossa casa e em menos de 5 minutos já estávamos a caminho,, sozinhos em uma van. Super prático. Nos arrumamos para dormir e chapamos, claro.

Dia 2 – domingo 22/08/2021

Dia de praia, bebê. Que animação!

Tomamos um café da manhã reforçado em casa e saímos de carro direto para a Praia de Vale do Lobo. Foi relativamente fácil estacionar na rua porque era bem cedo, mas deu pra perceber que um pouco mais tarde as vagas são muito disputadas. Montamos barraca em um lugar que estava vazio, andando com o carrinho até o final do caminho de madeira. Nossa barraca era a mais cheia de tralhas, porque tínhamos o carrinho da Ju com moisés, a barraca, a tenda pop-up de bebê, as cangas, os brinquedos, os lanches, a sacola térmica com bebidas, etc etc. Uma farofada só! Assim que eu gosto 🙂

O dia estava lindo e foi uma delícia ficar por lá, mas seria bem melhor se a água do mar estivesse mais quente (duhh, óbvio!) e sem algas no raso. De qualquer forma, aproveitamos bastante e tanto Juju quando Paddy brilharam. Acho que são praieiros esses meus filhos hein…

Ficamos por lá até a fome apertar de verdade e voltamos para casa para almoçar a torta salgada que já estava pronta desde Cascais. Comemos, descansamos e depois Celo e Paddy foram para o beach club enquanto eu e Ju descansamos um pouco do sol. Eles se divertiram por lá! Os meninos voltaram e nos arrumamos para jantar na Praça, dessa vez indo de carro novamente.

Liguei com antecedência para reservar uma mesa no Teahouse Oriental e comemos pratos bem gostosos, super voltados para o público inglês/irlandês. Eu reconheci praticamente todo o cardápio por causa das nossas experiências orientais em Dublin. Infelizmente, o Paddy estava bem cansado e tivemos que comer com pressa, mas valeu a pena.

Dia 3 – segunda-feira 23/08/2021

Café da manhã reforçado em casa e bora passear a pé pelo resort! Paramos em um parquinho bem legal em uma pracinha, que tinha escorrega, parede de escalada, balanço, etc. Foi sucesso com o Paddy!

Depois passamos por um laguinho e o moleque ficou horasssss jogando pedras lá dentro. Como criança precisa de pouco para ser feliz, né? 🙂

Depois seguimos andando e fomos conhecer o complexo com as quadras de tênis e piscina que estava no mapa. Eu sinceramente fiquei decepcionada com o que vi. Achava que seria tudo moderno e de boa qualidade, afinal estávamos no Vale do Lobo, mas quando chegamos na piscina, vimos pastilhas faltando, bordas sujas com gordura, água com plantas e insetos que não foram retirados com a peneira, além de espreguiçadeiras quebradas e desconfortáveis ao redor. A minha vontade era de ir embora dali, mas como estava vazio – diferentemente do beach club, segundo o Celo – e o Paddy ficou animado para entrar na água, acabamos ficando por lá mesmo. Como não tinha piscina para crianças e aquela era muito funda para ele, o jeito foi usar uma boia de flamingo que o resort deixou disponível para crianças. Caído mas “deu jeito”, como dizem os tugas.

Ficamos um bom tempo lá aproveitando a piscina que era praticamente nossa e depois decidimos almoçar no restaurante/café que tinha ali ao lado e estava super vazio. Pedimos comidinhas bem básicas e comemos tranquilos na varanda com vista para as quadras de tênis.

O restaurante e a comida:

Voltamos depois a pé para casa, descansamos um pouco e quando o final de tarde foi chegando, dirigimos para conhecer outra praia, a Praia do Garrão Nascente. Ficamos chocados com a quantidade de carros e pessoas que estavam na rua que dá acesso à praia, mas é porque existem vários restaurantes legais, sendo um deles o “Júlia’s restaurant” em homenagem a nossa baixinha. Ahhh, claro que eu queria ter entrado lá (rs), mas estava muitooo cheio, então demos meia volta e seguimos para a nossa já conhecida Praia do Vale do Lobo. Felizmente já estava bem vazia e tinha um pôr do sol lindíssimo! Jogamos bola, Jubs tirou outra soneca e aproveitamos para relaxar.

Jantamos em casa e dormimos cedo para aproveitar o dia seguinte.

Dia 4 – terça-feira 24/08/2021

Celo acordou mal disposto, com dor no corpo e outros sintomas de gripe, e ficamos de preguicinha em casa. Não sabemos até hoje o que foi, mas desconfiamos de reação tardia da vacina Pfizer ou então de alguma comida estragada no almoço. Claro que cogitamos ser COVID e eu até saí para comprar teste no supermercado para ele mesmo fazer, mas felizmente deu negativo o resultado.

No final do dia, quando ele estava melhorzinho, fomos de carro até o Beach Club Well, que já estava praticamente vazio . Achei o espaço muito bacana! Entramos sem precisar pagar, pois estávamos hospedados, mas dá para comprar o ticket para o dia por 16 euros (crianças até 6 anos não pagam). Tem uma piscina redonda enorme, algumas cadeiras com ombrelones ao redor e uma vista mar lindíssima, que é mais aproveitada pelos camarotes que custam uma grana e estão mais bem posicionados, claro. Há bar e banheiros também para completar a infra.

Atenção se você tem filhos pequenos

O que me chamou mais a atenção foi que eles tiveram a “brilhante” ideia de colocar uma mini piscina flutuante dentro da piscina redonda, o que eu entendi que seria para crianças. Quando o Paddy entrou, quase se afogou no meio porque o fundo é falso e definitivamente não dá para toddlers, então ele teve que ficar agarrado à borda para não engolir água. Fiquei P da vida por não ter placas avisando ou pelo salva-vidas “super ocupado” não ter nos avisado antes. Talvez eles assumam que todos conheçam essas piscinas que são usadas por yatchs no meio do mar, mas eu obviamente nunca tinha usado uma e tomei um belo susto.

Depois dessa frustração, ficamos um tempo na piscina maior brincando com as armas de água e nadando para nos esquentar. A piscina é aquecida (deu para sentir os jatos quentes), mas por causa do seu tamanho, não fica super agradável não. Eu consegui ficar mais tempo do que o Paddy, que logo começou a querer brincar apenas do lado defora. Saímos de lá quando o beach club fechou, às 19h, e depois deixamos o Paddy ficar 20 minutos pulando no insuflável que ele tanto gostou. Diversão garantida!

Fomos depois para casa jantar e arrumar as coisas para o checkout no dia seguinte, e como esperado, todos dormimos bem. Nada como diversão ao ar livre para a saúde, né?

Dia 5 – quarta-feira 25/08/2021

Tomamos café da manhã, nos arrumamos e fizemos o checkout às 11h. Seguimos de carro até Ferragudo, também no Algarve, onde nos encontramos com a família e passamos o resto das férias. Veja todos os detalhes neste post! 😉

Algumas pegadinhas desse hotel:
  1. Checkin do hotel é às 17h e checkout é às 11h. Perde-se muitas horas na diária, né?
  2. A foto mais bacana do hotel no Booking é de uma piscina escrita Well com bancos e cadeiras estilosas, mas ali não é o beach club que está incluído na diária. É a foto de um restaurante que é super badalado e caro que permite que alguns clientes usem a piscina caso façam refeições. Nós tentamos ir, mas estava lotado.
  3. No Booking aparece que o resort é em frente à praia e realmente é. A questão é que dependendo de onde você ficar hospedado, você vai ter que andar meia hora até a praia ou então pegar o shuttle ou dirigir.

Saiba mais sobre nossas outras viagens por PORTUGAL aqui.

Planeje sua próxima viagem conosco!

Quer ajudar o blog sem pagar nada por isso? Basta usar os nossos links para ganharmos uma comissão dos parceiros abaixo:

Thanks!

4 comentários em “4 dias no Vale do Lobo Resort, um condomínio de luxo no Algarve”

  1. Pingback: 4 dias em Ferragudo, no Algarve – Mochilões e Mochilinhas

  2. Pingback: 9 dias pelas regiões do Vale do Lobo e Ferragudo, no Algarve – Mochilões e Mochilinhas

  3. Pingback: 4 dias com a família em Ferragudo, Carvoeiro, Portimão e Alvor

  4. Pingback: 9 dias pelas regiões do Vale do Lobo e Ferragudo, no Algarve

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *