Desde que Patrick nasceu, minha cabeça está a mil pensando em todas as viagens que quero fazer com ele e com o Celo. Sempre li sobre o assunto e imaginei os meus filhos viajando com a gente, então a emoção de finalmente colocar em prática é demais! ❤

A rotina dos 3 primeiros meses foi pesada, como todo mundo nos avisou, mas assim que notamos uma melhora, pensamos em meter o pé na estrada. Além disso, como decidimos nos mudar para Portugal em junho/18, pensamos em fazer uma viagem de despedida pela ilha que nos acolheu tão bem. Sabemos que vamos voltar muitas vezes a este lugar especial, afinal o nosso pequeno é irlandês e temos muito carinho pelo país e pessoas que conhecemos, mas sentimos a necessidade de um último rolé como residentes, sabe?

O ritmo definitivamente foi mais lento do que todas as outras viagens que fizemos, mas achei tão gostoso ver o fofucho com a gente nos hotéis e atrações que só tive a certeza de que viajar com filhos é um MUST. Aqui vai um resumo que diz respeito aos cuidados com o baby durante a nossa trip:

Optamos por ele dormir na cama conosco, mesmo muita gente sendo contra por questões de segurança. Colocamos ele entre a gente quando o hotel só tinha uma cama de casal gigante e quando tinha duas, eu dormia com ele numa cama e Celo na outra, fazendo uma barreira de travesseiros para ele não rolar e cair da cama. Ele tinha quase 4 meses de vida e já estava conseguindo virar bem a cabeça e quase rolar, então não achamos tão perigoso assim, mas fica a critério de cada um, né…

Demos banho no chuveiro mesmo, com Celo debaixo da água segurando ele e comigo fazendo a limpeza sem precisar segurá-lo.  Tínhamos uma banheira em casa dobrável que podíamos levar, mas optamos por tentar o banho de chuveiro e não levar tanto trambolho conosco. Foi interessante!

Graças a Deus, a amamentação está dando super certo desde que ele nasceu, então não foi preciso levar fórmulas, mamadeiras, esterilizadores, etc. Foi só dar o peito quando ele queria e o problema de fome/sede estava resolvido! Ah, estamos seguindo o método EASY (eat, activity, sleep, you), então dava para ter uma ideia de quando ele precisava mamar ou dormir.

Fiquei muito na dúvida sobre a quantidade de itens que deveria levar para 4 dias e acabei pecando pelo excesso, confesso. Levei uma média de 5 roupas por dia, em caso de  vazamentos, além de mantas, toalha, meias, casacos, chapéus/gorros, um pacote enorme de fraldas, muitos lenços umedecidos, o kit de higiene, a Vitamina D, o Calpol líquido (caso tivesse febre), o Nose Frida (para sugar possíveis sujeiras do nariz) e os brinquedos favoritos.

Ah, levamos também o car seat (bebê conforto) e carrinho, né? E sobre isso quero deixar um alerta aqui: li em muitos lugares sobre os perigos de deixarmos bebês no bebê conforto por mais de 1h30, pois eles correm o risco de sufocarem por não terem controle total da cabeça ainda. Montamos o roteiro levando em consideração essa informação, ou seja, dirigimos no máximo 1h30 ou quando foi preciso dirigir por mais tempo, fizemos algumas pausas no caminho para ele sair do car seat.

Como ele tem facilidade para dormir em qualquer lugar, acabou tirando as sonecas dele no carro ou durante os passeios mesmo, mas algumas vezes precisou ser ninado para não ficar mais de 3/4h acordado. Teve um dia da viagem que ele não dormiu muito durante o dia (domingo – Ring of Kerry), pois fizemos várias paradas, e a noite foi horrorosa! Tivemos que passear de carro com ele na madrugada, pois estávamos em um B&B e não queríamos acordar todo mundo com o choro dele. Lição aprendida: nosso bebê só dorme bem a noite quando dorme bem de dia.  

Acho que é isso, gente… Vou contar mais detalhes sobre a viagem em si no próximo post, OK? Inté!

***********************************************************************

Quer ajudar o blog sem gastar nada por isso?:)

Nós ganhamos uma pequena comissão se você fizer reservas e compras pelos nossos links abaixo:

Agradecemos de coração! ❤