Uma tarde no Dino Parque em Lourinhã

Finalmente chegou o dia de conhecer o famoso parque dos dinossauros de Portugal! 🙂

Uma amiga nos falou sobre o parque em 2019, mas por causa da pandemia, do inverno, do cansaço da gravidez e da chegada da Ju, acabamos adiando a nossa ida por quase 2 anos. Queríamos também ter a certeza de que o baixinho ia se amarrar na experiência e quando vimos ele decorando todos os dinossauros de sua enciclopédia, tivemos a certeza que era A hora de irmos.

Aproveitamos a viagem com Dad para Figueira da Foz e encaixamos o parque na volta para Cascais. Deu certinho no roteiro, no mesmo dia que visitamos o lindíssimo Buddha Eden, como contei aqui neste post.

Se quiser ler sobre a nossa viagem completa de 3 dias pelo Centro do país, veja este post aqui.

Chegamos no parque por volta das 14h30 com os dois pimpolhos dormindo no carro e quando a Ju acordou, saí com ela e deixamos o Patrick dormir mais um pouco porque sabíamos que a caminhada no jardim tinha sido intensa. Fui entrando com meu pai, Jubs e a família que veio de Cascais nos encontrar e o Celo ficou no carro com o Paddy enquanto ele dormia. Não pegamos nenhuma fila da bilheteria, felizmente, e depois de desembolsarmos 13 euros por adulto (criança só paga a partir de 4 anos e Paddy ainda tem 3), entramos no complexo super empolgados.

PS. Se você quiser pagar com desconto, dá para comprar online e pagar pouco mais de 11 euros. Veja mais informações no site oficial deles. Não comprei nada com antecedência nessa viagem porque estávamos com medo de contratempos com os filhotes, mas sempre é bom economizar quando dá, né?

Entramos e vimos logo a loja e um museu com muitas fotos, textos e objetos interessantes, mas estávamos esfoemados então fomos direto para a “zona de restauração”, como eles chamam aqui a área de restaurantes e lanchonetes. Havia apenas uma opção de lugar para comprarmos comida, então lá fomos nós com hamburgueres, nuggets, batatas e copos de dinossauros para o pituco. Celo e Paddy se juntaram a nós em pouco tempo e quando terminamos, fomos explorar o parque bastante animados.

O lugar é ENORME!

Eu não sabia, mas é o maior museu a céu aberto do Portugal com cerca de 10 hectares. São mais de 180 esculturas de dinossauros à escala real dos 4 períodos mais importantes da história da terra e todas elas têm placas informativas com muitos detalhes legais. Queria ter tempo e paciência para ler tudo com calma, mas fica pruma próxima visita…rs. Fomos caminhando seguindo uma linha do tempo e vendo os dinossauros que existiram nas épocas respectivas. Achei as esculturas perfeitas, extremamente reais, e se não fosse a birra que o Paddy fez logo no início do caminho, o passeio teria sido incrível com a imaginação rolando solta.

Fomos chegando perto do Supersaurus, que como o nome mesmo diz é um dinossauro gigante (e descobri agora no site deles que é o maior do país e da Europa), e aí o pirralho começou a ficar mais tranquilo. Subimos as escadas, tiramos muitas fotos, e seguimos andando.

Paramos em algum momento nas mesas de picnic para a Ju mamar e nós descansarmos, afinal é uma longa caminhada e depois seguimos até finalizar todo o trajeto. Ah, importante dizer que lá venta muitoooo e que estamos rodeados de pinheiro-bravo, então recomendo que use sapatos fechados para não ser espetado pelas folhas em forma de agulha que caem.

Passamos pelo Lourinhanosaurus antunesi, o dinossauro que foi descoberto na região e fiquei pasma ao saber que descobriram um quarto ninho com cerca de 10 ovos em 2017. Tão recente, né? Dê uma lida na notícia aqui

Acho que ficamos umas 3/4 horas andando tudo e parando para ver com mais calma apenas os dinossauros favoritos do Paddy: o Tiranossauro Rex, o Estegossauro, o Triceratops e o Braquiossauro. Foi muito legal ver o baixinho tão feliz!

Terminamos o passeio com um pensamento: “Acabou? Foi só isso?” Juro que eu esperava mais interação para crianças tão novinhas. Paddy com 3 anos e meio não sabe ler e tenho certeza que se visse vídeos ou escutasse informações sobre os dinossauros de funcionários do parque, ele ficaria muito mais empolgado. Nós tentamos ler algumas coisas para ele, mas acho que no final ficou uma experiência repetitiva. Olha a escultura, lê a placa, anda pra próxima…

Vi que na entrada/saída do parque eles têm algumas atividades para crianças mais velhas, mas ficou faltando algo para os mais pequeninos, sabe? Tá certo aque até 4 anos é de graça, mas acho que a experiência seria muito mais completa se eles investissem um pouquinho em recursos sonoros ou visuais para este público (e também para o resto, né?)

Enfim…para não falar que os mais pequeninos ficam tão prejudicados assim, há um um parquinho bem legal no final do percurso que foi sucesso com o filhote.

Fechamos o dia cansados e felizes com tanta novidade!

____________ //____________

Saiba mais sobre nossas outras viagens por PORTUGAL aqui.

Quer nos ajudar a manter o blog atualizado ? Use os links abaixo! Você não pagará mais por isso e nós receberemos uma comissão pela indicação.

Thanks! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: