Search
Search
Close this search box.
Mochilões e Mochilinhas

Roadtrip de 4 dias na Espanha (Badajoz, Mérida e Cáceres)

Índice

Aproveitamos o feriado de 7 de setembro no Brasil numa quinta-feira e marcamos em cima da hora uma viagem para conhecermos 3 cidades na Espanha bem pertinho de Portugal: Badajoz, Mérida e Cáceres.

Dia 1 – Quinta-feira – 07/09/2023

Saímos de Cascais bem na hora do almoço e demos vários lanches para as crianças ficarem satisfeitas e dormirem no carro. Funcionou! Chegamos em Badajoz depois de quase 3h de viagem e fomos direto ao restaurante indicado pelo blog Vagamundos, Tapería Ajonegro.

Almoçando em Badajoz

Como já estava perto da hora de fecharem para a famosa siesta, conseguimos uma mesa livre na praça e já tivemos que pedir todos os pratos de uma só vez. Não encontramos sopa no cardápio para a Ju, mas ela petiscou algumas tapas que pedimos, assim como o Paddy, e ficamos muito felizes com o resultado. Tudo delicioso! Pedimos atum, vieira, polvo e um tal de SOLOMILLO IBÉRICO AL AJONEGRO TOSTADO que estava espetacular.

Para nossa felicidade, as crianças conseguiram brincar livremente na praça vazia com os balões que enchi na hora e nós conseguimos relaxar e planejar um pouco o roteiro com meu sogro, que dessa vez veio com a gente para curtir um pouco o passeio com as crianças. Foi a primeira viagem dele sozinho com a gente! 🙂

Andamos até onde havíamos estacionado o carro e a cidade estava um breu. Nenhuma pessoa andando. Nenhuma carro se mexendo. Só nós e nossos pirralhos fazendo barulhos que provavelmente todos os vizinhos conseguiam ouvir. Que sensação estranha.

Nosso hotel em Badajoz

Dirigimos por uns 15 minutos até o nosso hotel, o Illunion Golf Badajoz, e como estava muito calor, fizemos o checkin sem stress e corremos para colocar nossas sungas e maiôs – ou fatos de banho – para relaxar nas piscinas. Ficamos um bom tempo curtindo o espaço, até que começou a ventar e ficar mais fresco, e achamos mais prudente subir para tomarmos banho e nos arrumarmos para jantar.

Achei o hotel bem agradável, com bom atendimento e boas áreas de circulação e piscinas. Senti falta de parque infantil ou uma sala de brinquedos, e acho que a temperatura da água poderia ser um pouco mais quente nas piscinas, principalmente na pequena. Não gostei de haver carpete nos corredores dos apartamentos, porque havia muitas manchas nos mesmos, e fico me perguntando se é porque eles permite cachorros no hotel. Dentro do quarto felizmente não há. Achei o quarto apertado para nós 4, mas foi tão bom ficarmos agarradinhos, que nem vou reclamar não…rs

Algumas fotos:

Jantando no hotel

Estávamos cansados e decidimos jantar no restaurante do hotel mesmo. Meu sogro pegou uma mesa do lado de fora, bem ao lado da piscina, e fomos super bem atendidos por um garçom espanhol que nos fez querer jantar lá pelas próximas duas noites também.

As crianças brincaram ao redor da piscina com amiguinhos que aparecerem, nós bebemos sem nos preocupar em dirigir, pedimos comidas com preços OK e gostosinhas, e quando cansamos, pagamos e pegamos um elevador para ir dormir. Praticidade viajando com crianças é bom – e necessário – demais!

Dia 2 – Sexta-feira – 08/09/2023

Tomamos um belíssimo café da manhã no hotel e fomos explorar a cidade de Mérida. Dirigimos por quase 1 hora com alguns snacks, balões e músicas no Spotify para não ter ninguém triste no carro. Viagem tem que ser diversão!

Explorando Mérida

Paramos o carro bem perto da principal atração da cidade, em uma vaga que apareceu na hora certa para nós. Ficamos surpresos, aproveitamos e depois que saímos do carro, ainda ouvimos de um pedestre que tínhamos dado sorte. Já fiquei animada com a cidade, não vou mentir. Eu amo esses sinais.

Teatro e Anfiteatro Romano de Mérida

Já que estávamos ali do lado e todos estavam com energia e de bom humor, aproveitamos para ir logo conhecer estes templos magníficos. Pegamos o ingresso combinado – Bilhete Conjunto Monumental Completo (Teatro-Anfiteatro, Alcáçova, Circo, Morería, Cripta Sta. Eulalia e Casa de Mitreo-Columbarios) por 15€ – e lá fomos nós diretamente para o Anfiteatro Romano, pois sabíamos que seria o que o Patrick mais se empolgaria já que sempre falamos com eles das lutas, guerras, povos anteriores e outros detalhes mais.

Um resumo do lugar: Erguido no século 8 a.C., como atestam as inscrições encontradas nas suas tribunas, o Anfiteatro foi palco de espetáculos muito populares: os jogos de gladiadores, as caçarias de feras e lutas entre animais selvagens, em cenários artificiais que recriavam bosques, selvas com lagoas ou desertos. Tudo isto por cima dos grandes estrados de madeira que formavam a arena. A lotação aproximada deste espaço gigantesco era de entre 15 e 16 mil espetadores. (fonte: Turismo Mérida)

Ficamos impressionados com o seu estado bem conservado e como é perfeita a construção. É muito fácil você fechar os olhos e imaginar as lutas no espaço, principal depois de termos visto o filme do Gladiador…rs. Se eu pudesse, ficaria bem mais tempo ali apreciando, mas o sol estava quente e as crianças não são muito pacientes, então vimos o que tinha para ver e saímos.

Depois do Anfiteatro, andamos até o Teatro Romano, que fica mesmo ao seu lado. É lindoooo, mas para nossa surpresa, eles estavam preparando o espaço para receber um show a noite bem especial por ser dia 8 de setembro, o Dia da Extremadura, e portanto nossa visita teve muito equipamento atrapalhando a paisagem. Mas preciso confessar uma coisa: fiquei com uma invejinha branca de quem tinha ingressos pro show ali. Imagina ouvir música clássica a noite em um lugar tão especial? Quero fazer isso um dia, com certeza!

Alguns detalhes do lugar: O teatro foi construído entre os anos 16 e 15 a.C., quando a Colónia foi promovida a capital da província da Lusitânia. Tal como o edifício contiguo do Anfiteatro, o Teatro foi parcialmente edificado na ladeira de um cerro, o que abaratou substancialmente os custos da sua construção. Embora os romanos não fossem muito apreciadores de teatro, uma cidade de prestígio não podia deixar de contar com um edifício para os jogos cénicos. (Fonte: Turismo Mérida

Andando pelas ruas de Mérida

Quando estávamos saindo da atração, liguei para alguns restaurantes que achamos bons no TripAdvisor e depois de alguns lugares lotados, acabamos escolhendo o NATURA GastroArt. Vimos que a distância era bem pequena e fomos a pé mesmo.

Passamos na rua José Ramón Mélida, que é apenas para pedestres e tem uma cobertura interessante para o sol e jatos de água para refrescar do calor. Fundamental para recuperarmos nossas energias depois de termos ficado mais de uma hora passeando no sol a pino. Adoramos passear pelo centrinho da cidade com tranquilidade e vendo lugres lindos como o Pórtico del Foro Municipal de Augusta Emérita no caminho.

Almoçando em Mérida

Este restaurante era o #3 da cidade quando reservamos e pelas fotos dos pratos, fiquei com água na boca antes de decidir ligar. Ao chegarmos na sua porta, confesso que não gostei muito do que vi, mas entramos mesmo assim e não nos arrependemos. Fomos colocados em uma mesa escondidinha que nos deixou bem a vontade para as crianças fazerem barulho, fomos atendidos pelo dono e chefe Fernando, e tudo que pedimos estava delicioso, principalmente o Jamón Ibérico. O restaurante estava vazio quando chegamos, o que nos deu um feeling ruim de pegadinha, mas quando saímos estava lotado e todos pareciam bem felizes. Vale a visita!

Templo de Diana em Mérida

Saímos do almoço direto para comprar o sorvete de sobremesa bem perto do Templo de Diana, na Heladeria Artesana Agustin Mira, que existe desde 1929. Impressionante, né? Uma delícia, é claro. Depois seguimos para conhecer o famoso templo que deve ter sido edificado durante o tempo de Augusto e cujo estado de conservação é impressionante. Como tínhamos o bilhete combinado, subimos as escadas, levamos carimbos nos nossos bilhetes e seguimos subindo. Lindo, lindo!

Ponte Romana de Mérida

Continuamos andando mesmo com o sol forte – santo carrinho de crianças que carrega crianças cansadas quando os pais estão mais cansados ainda – e passamos pela estátua da Loba Capitolina antes de chegarmos à tão aguardada por todas Ponte Romana de Mérida. Tínhamos visto fotos belíssimas, mas o motivo principal para andarmos até ela foi que tínhamos que jogar pedras no rio Guadiana com o Paddy . Falamos sobre isso no início do dia e ele obviamente ficou o tempo inteiro aguardando pelo momento incrível de muitos arremessos de pedras no rio por parte de todos os viajantes da família.

O problema é que quando chegamos na ponte não encontramos pedras para jogar no rio. Foi frustrante para ele, tadinho. Mas eis que demos a solução dos seus problemas: o jeito era entrar em uma última atração da cidade para pegar algumas pedrinhas. E lá fomos nós com ele esperançoso.

Alcaçova Árabe em Mérida

Resuminho: Esta grande fortaleza foi erigida durante a época muçulmana de Mérida pelo emir omíada Abderramão II, no ano 835 da nossa era. O encarregado de a delinear foi o arquiteto Abd Allah, que para construir esta Alcáçova, a mais antiga da Península Ibérica, procurou inspiração nos modelos bizantinos. Os muros, de 2.70 metros de largura, apresentam uns paramentos feitos à base de silhares e outros materiais reutilizados de épocas anteriores. É demais!

Nós aproveitamos que já tínhamos o bilhete combinado e entramos sem pestanejar. Circulamos um pouco por dentro, subimos nas muralhas, tiramos belas fotos, pegamos algumas pedras e saímos para os tais arremessos. Foi sucesso com os pequenos e adultos.

Depois desta última atração, voltamos a pé para o carro e foi perrengue com o calor que estava fazendo, não vou negar. O bom foi que conseguimos que a Ju dormisse no carrinho e pudemos nos concentrar apenas no Patrick, que também ficou exausto quando chegou no carro e dormiu todo o caminho de volta até o hotel – assim como eu, que estava no banco de trás com as crianças kkk.

Jantando novamente no hotel

Chegamos bem cansados e fomos direto para o quarto tomar banho e descansar um pouco. Cheguei a sair de carro para alguns supermercados próximos para comprar mais frutas, snacks e o principal, sopa para Juju – ela adora e não tinha no hotel – mas encontrei tudo fechado. Foi aí que me lembrei do feriado. 🙂

Comemos massas gostosas no restaurante, as crianças ainda brincaram com outras no hotel e pudemos descansar até a hora de subir para dormir. Um dia intenso, mas feliz!

Dia 3 – Sábado – 09/09/2023

Mais um café da manhã bem completo e hoje foi dia de conhecer a fofíssima Cáceres, a cidade medieval mágica da Extremadura. Pelo pouco que pesquisei dessas 3 cidades que visitamos antes da viagem, eu tinha entendido que Mérida era mais cativante que Cáceres, que por sua vez era mais interessante que Badajoz. Depois de conhecer agora as 3, posso dizer que a minha ordem de predileção foi Cáceres, Mérida e Badajoz. Vou tentar mostrar o porquê em fotos logo mais.

Dirigimos por quase 1h30 até Cáceres e foi bem cansativo este trecho porque ninguém dormiu ou gastou muita energia no hotel porque estava chovendo. Estacionamos o carro em uma vaga de rua novamente e fomos descendo uma ladeira em direção a praça principal da cidade, Plaza Mayor. Paramos em um parque infantil que foi ótimo para as crianças se divertirem um pouco e aguentarem o turismo do dia inteiro.

Plaza Mayor em Cáceres

Chegamos a praça e adorei o que vi. Poucas pessoas, arquitetura bonita, lugar limpo, silencioso e muito espaço para as crianças brincarem. Fomos até o famoso letreiro da cidade e achamos umas fontes de água que encantaram os pequenos. Paramos para ler com calma qual roteiro que faríamos a pé e partimos direto para a cidade muralhada, que está listada pela UNESCO como Património da Humanidade.

A Cidade Antiga de Cáceres

Cidade Antiga de Cáceres é perfeita para visitar a pé e possui mansões e palácios renascentistas lindíssimos, rodeados de muralhas do século XII. Paramos para visitar a Concatedral de Santa Maria e subimos eu e Patrick apenas para a torre que possui uma vista linda da cidade. Ouvimos artistas de rua, passeamos pelas ruelinhas e depois descemos para procurar restaurante para almoçar.

Almoçando em Cáceres

Escolhemos o Almagesto Puerta de la Estrella, pois tinha boa avaliação e mesas na esplanada na praça, o que foi ótimo para deixar as crianças mais livres. O atendimento foi bom e a comida estava OK, mas acho que esse foi o restaurante que menos gostamos de toda a viagem. Provamos o famoso queijo da Extremadura, o Torta del Casar, e achei gostosinho, mas nada demais não.

Passamos depois em uma sorveteria para alegria das crianças e voltamos para o carro.

Jantando no hotel

Dirigimos depois até o hotel e todos que estavam no banco de trás dormiram…rs. Estava chovendo quando chegamos, então o jeito foi subir para o quarto, tomar banhos e brincar dentro de quatro paredes apertadas. Descemos para nosso último jantar no hotel, e como Celo estava passando um pouco mal, acabou indo dormir mais cedo enquanto eu, meu sogro e as crianças comíamos.

Será que foi a comida do almoço? Hum…é a nossa maior suspeita.

Dia 4 – Domingo – 09/09/2023

Tomamos nosso último café da manhã no hotel e como estava chovendo, nem deu para curtir a piscina até a hora do checkout. Arrumamos nossas coisas com calma, colocamos casaquinhos e deixamos as crianças brincarem soltas pelo saguão até sairmos.

Fomos conhecer com calma Badajoz e depois voltamos direto para nossa casita em Cascais.

Explorando Badajoz

Em Badajoz, estacionamos o carro no Parque de la Alcazaba, público, e fomos explorar tudo a pé com o carrinho das crianças.

Encontramos um parque infantil muito bem cuidado e com brinquedos interessantes que foram sucesso com as crianças. Agora olhando no mapa vejo que se chama o Parque Infantil Castillo Oscuro. Ficamos um bom tempo ali e depois fomos explorar este grande monumento da cidade, andando até a Torre Espantaperros.

Depois descemos de lá e chegamos até a Plaza Alta, que é a mais característica da cidade, e como as crianças já estavam cansadas, paramos para almoçar em um dos restaurantes dali.

Almoçando em Badajoz

Escolhemos o La Casona pois tinha uma a melhor nota no TripAdvisor. Pedimos jamón ibérico, croquetes e solomillo, e tudo estava bom, mas o atendimento deixou um pouco a desejar.

A caminho do Rio Guadiana em Badajoz

Fomos andar pela cidade com o objetivo de ir jogar pedras no rio Guadiana, algo que tínhamos prometido ao baixinho. Passamos por ruas vazias, vazias, e fiquei com a sensação de ser uma cidade fantasma. Até na Plaza de Espana quase não vimos ninguém. A Catedral de San Juan Bautista estava fechada, então só a vimos por fora, e continuamos andando.

Chegamos até a famosa Puerta de Palmas, construída no século XVI para servir de entrada principal à cidade muralhada. Lindinha demais. Fiz questão de passar por baixo, claro.

Depois finalmente na Puente de Palmas, a ponte mais antiga de Badajoz, começamos a jogar todas as pedras que saímos coletando pela cidade. Que alegria!!! E tem gente que diz que criança precisa de brinquedos…rs

Ficamos um bom tempo jogando pedrinhas no rio e quando o estoque acabou, voltamos para o carro. Detalhe: o Celo voltou para pegar o carro enquanto eu, Luiz e as crianças andamos até a ponte. Teria sido muito perrengue voltar até a Alcazaba com eles depois de terem andado tanto.

Voltamos para Cascais na paz, com todos dormindo no banco de trás. Viagem com sogrinho foi sucesso absoluto 🙂 Que venham mais!!

Se quiser saber mais sobre outros passeios pela Espanha, veja este link aqui.

Índice

Parceiros
Recentes
Newsletter
Instagram
Facebook
Planeje sua viagem
Booking.com

Planeje sua viagem com nossos parceiros!

Ao usar os links abaixo para organizar sua viagem, você ajudará este blog a continuar existindo, já que os nossos parceiros nos repassarão uma pequena comissão. Você não pagará nada mais por isso e nós ficaremos muito felizes! :)

Conteúdo Relacionado

TOP 5 igrejas que visitamos em 2015

Nós adoramos visitar prédios religiosos quando viajamos, mesmo sem sermos muito religiosos. É um misto de admiração pela arquitetura, história e energia boa dentro deles, sabe?

LEIA MAIS »

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter