Sexta (08/02/2013) – indo para Santos

Saímos direto do trabalho por volta de 22h para a rodoviária Novo Rio, no Rio de Janeiro. Nosso ônibus para Santos (R$125 por pessoa – executivo) só saía perto de meia noite, mas como era véspera de carnaval e sempre tem trânsito, achamos melhor sair com antecedência. Nem precisava, porque nosso ônibus atrasou quase 2 horas…

Dia 1 – sábado (09/02/2013)

Chegamos em Santos por volta de 11h, depois de 9 horas de viagem. Descemos na rodoviária da cidade e fomos procurar um táxi para nos levar até o porto, mas percebemos que os passageiros do nosso ônibus estavam retornando para ele porque tinham conseguido uma carona por R$10 reais por pessoa. Voltamos também para o ônibus e só descemos em frente aos stands das empresas de cruzeiros. Nunca pensei que fosse andar tão pouco…

Facilmente achamos o stand da nossa empresa, Royal Caribbean. Deixamos nossas bagagens onde nos orientaram e ficamos esperando o checkin começar, conforme nos explicaram. O porto estava l-o-t-a-d-o de todos os tipos de pessoas…claramente dava para ver pessoas que estavam solteiras buscando muita festa no carnaval (cruzeiros para o nordeste, por exemplo) e famílias, casais e idosos querendo um carnaval mais calmo (outros destinos). Compramos nossas cervejinhas e em menos de uma hora, já estávamos dentro do navio. Que organização, viu… Estão de parabéns!

Eu já tinha feito um cruzeiro com a MSC quando me formei em engenharia em 2009, mas era a primeira vez do Celo. Dessa vez, escolhi a Royal Caribbean e de cara posso dizer que gostei mais. Nosso navio foi o Splendour of the Seas e ele é bem luxuoso. Todos são na verdade, mas algo me diz que esse era mais que o meu da MSC.

dsc02333

Como nossas cabines ainda não estavam liberadas quando entramos no navio, decidimos dar uma volta para fazermos o famoso reconhecimento de área. No próprio navio existem mapas interativos que te ajudam a entender onde você está, para onde pode ir e o que pode fazer. Fomos direto para o andar 9, onde ficam as piscinas (sim, mais de uma!) para já ir entrando no clima, né…Não nos impressionamos muito com o tamanho da piscina externa, mas curtimos as jacuzzis ao redor dela. Depois fomos para a área da piscina interna e essa é bem legal, mas eu confesso que não curto muito ficar em piscinas cobertas.

dsc02319

Descobrimos que tinha almoço rolando no restaurante deste andar, do lado oposto de onde estávamos e lá fomos nós famintos, já que nossa última refeição tinha sido na noite anterior. O restaurante era do tipo buffet, bem arrumadinho e com algumas opções de saladas, massas, carnes e sobremesas. O que é sempre mais legal nos restaurantes em navios é a vista, né, então fizemos questão de sentar pertinho da janela, olhando a água do mar de Santos (horrível, por sinal rs).

dsc02325

IMPORTANTE: Todas as refeições estavam incluídas no preço que pagamos do navio (R$2600 – cabine externa). Só pagamos as bebidas, que são bem carinhas por sinal. Para você ter ideia, um chopp custava US$6.90. (isso foi em 2013…não sei quanto custa hoje em dia). Até existem pacotes de bebidas, mas nenhum que a gente achasse que valia a pena para nós. O jeito foi pagar uma por uma mesmo…

Depois do almoço, fomos finalmente para o quarto! Chegamos nele e nossas malas já estavam por perto, então colocamos tudo para dentro sem stress. Trocamos de roupa, descansamos um pouco e fomos acordados para o treinamento de emergência.

dsc02498

Esse treinamento sempre é feito no início da viagem, porque é importante que todos saibam o que fazer em caso de acidentes (todos viram o filme Titanic, né?). Pois então…deve ter durado no máximo meia hora. Depois do treinamento, fomos pegar bebidas e passear mais pelas outras áreas. Amamos tudo que vimos, sem exceção. É um ambiente tão confortável, tão aconchegante, sabe? Adoro o clima de resort que os navios têm, não sei… Os carpetes coloridos, as luzes, os papéis de parede, o ar condiciona gelado, as pessoas te atendendo e sendo super simpáticas…eu adoro, mas sei que tem gente que detesta.

Assistimos a partida do navio do porto e passamos por alguns lugares em Santos onde as pessoas ficam acenando para os navios. Parecemos celebridades, sabe? É interessante…

dsc02323

Logo logo chegou a hora do nosso jantar. Antes de viajarmos, agendamos pelo site o My Time Dining, conforme nos instruíram, os nossos jantares ao longo da viagem. Você baiscamente escolhe o dia, o restaurante e o horário da refeição. Agendamos para 21h todos os dias, mas depois percebemos que muitas atrações legais aconteciam neste horário. Algumas até eram repetidas mais tarde, mas outras não, então acabamos perdendo as atrações (ninguém merece dormir com fome, né?). Fiquei com a impressão que a boa é ir sem horário reservado e tentar a sorte, mas confesso que gostamos de não passar por filas e tumultos, então eu acho que tentaria pegar horários mais cedo da próxima vez…

Dia 2 – domingo (10/02/2013)

Acordamos e lemos no jornalzinho do cruzeiro a seguinte informação: Dia inteiro de navegação! Ficamos um pouco receosos, mas quando passamos a página e vimos a quantidade de atividades que seriam realizadas, relaxamos. Tem de tudo acontecendo no navio….karaokê, gincana na piscina, quiz com prêmios, aulas de dança, shows, torneios de jogos, alongamentos, entre outros. Foi difícil organizar a nossa agenda, mas conseguimos!

Saímos para tomar o café da manhã no restaurante The King and I que tem comida a la carte + buffet. Este restaurante só fica aberto até às 10h, então tem que acordar relativamente cedo pra ir, mas vale a pena! Eles preparam panquecas, waffles, ovos de todas as formas, omeletes e tudo vem quentinho e é saboroso.  Tem vários pães diferentes, muitos cereais e frutas no buffet. Esse restaurante acabou sendo o nosso favorito…

Trocamos de roupa e fomos direto para a piscina principal do navio. Deixamos os nossos pertences em duas espreguiçadeiras e fomos mergulhar, mas achamos a água bem geladinha e a piscina estava relativamente cheia. Depois de algum tempo, fomos para a jacuzzi externa e ficamos descansando lá por um bom tempo. Depois decidimos ir para a piscina interna…. ô vida dura…rs.

Almoçamos nesse meio tempo, relaxamos, andamos pelo navio e conhecemos tudo o que deu para conhecer. Fizemos aula de dança logo depois do almoço e  é claro que isso não fez bem para a gente. Ficamos enjoados no final do dia e nem conseguimos ir ver o capitão, que eu acho que é um dos eventos mais importantes da viagem de cruzeiro. Uma pena…

Depois de tanto tempo passando mal, cheguei a ligar de madrugada para a recepção perguntando sobre serviços médicos. Me falaram que por causa da hora, eu teria que pagar US$48 para acordar o médico e mais US$160 pela consulta. Um absurdo total!!!! Deveria ser de graça isso, não? Pedi um remédio de enjôo e eles pelo menos mandaram alguém entregar no quarto, mas infelizmente não adiantou. Passei mal por mais um tempo e acabei dormindo de exaustão.

Dia 3 – segunda (11/02/2013)

Depois da noite fabulosa que tive, acordei exausta. Mesmo assim, nos arrumamos, tomamos café da manhã e fomos conhecer Punta del Esteassim que liberaram a saída das pessoas. Como a cidade não tem um porto considerável, os navios ficam parados longe da cidade, no meio do mar, e os passageiros pegam lanchas até a praia com o cais. Descemos, eu ainda passando um pouco mal, e decidimos comprar uma coca-cola no primeiro restaurante que vimos. Como não tínhamos pesos uruguaios, pagamos em reais mesmo. Pasme: pagamos 9 reais por uma lata. Tomei um susto com o preço, mas como estava muito mole e achei que beber coca me ajudaria, paguei.

Estávamos com um mapa da cidade com uma indicação de tour que podíamos fazer por nossa conta andando. Achei ótimo, porque assim passeávamos no nosso ritmo, mas dá para comprar pacotes de turismo dentro do cruzeiro. São bem mais caros que os passeios por conta própria, claro, mas você não precisa se preocupar com locomoção ou horário, já que o guia vai tomar conta de você. Acho que tem os prós e contras…

Seguimos o mapinha andando pela orla e tivemos uma ótima impressão da cidade. Organizada, limpa, carros novos, pessoas bonitas e saudáveis. Ambiente saudável, sabe? Infelizmente, comecei a passar mal novamente e tivemos que parar em uma lanchonete dentro da Plaza Artigas para descansar. Como começou a chover e eu já estava com frio, Celo foi em busca de guarda-chuva e de indicações de um restaurante bom para almoçarmos. Depois que voltou, seguimos andando pela rua principal até que encontramos um dos restaurantes que foram indicados, o El Tucan. Que lugar aconchegante, viu…. não sei se é porque eu estava exausta e com frio, querendo um pouco de paz, mas eu achei o restaurante calmo, confortável e com uma comida maravilhosa. Pedimos a melhor carne (ojo de bife) recomendada pela garçonete, purê de batatas e a cerveja uruguaia Patrícia para o Celo. Comemos de entrada chorizos, que são umas linguiças maravilhosas! Depois desse almoço delicioso e com atendimento perfeito, veio a conta. Deu R$90 para nós dois. Achei justo pela qualidade e quantidade de tudo, sabe? Recomendo! A única parte chata é que perto do banheiro, nos deparamos com tucanos e araras em gaiolas. Para quê deixar esses bichos lindos presos, né? Enfim…

Continuamos andando pela cidade para completar o tour que o mapa nos indicava. Conhecemos praias calmas e bravas, o farol, a catedral, o mercadinho, a marina, a famosa escultura da mão, enfim, tudo que estava no mapa. Nada muito impressionante, mas o passeio em si é muito gostoso. Você se sente super seguro e acaba andando com a câmera pendurada no pescoço e sem se preocupar com nada. Eu achei nível 1º mundo, principalmente porque as pessoas são muito educadas e as casas e prédios são bonitos e luxuosos. É um balneário de gente rica, né…

No final do dia, decidimos dar um pulo no cassino do hotel Conrad, considerado o melhor de Punta. Que luxo o hotel hein… Só para você ter uma ideia, a diária mais barata em baixa temporada custava US$230 (fomos em 2013 – não sei quanto está hoje em dia). A mais cara, em qualquer temporada, custa US$7.500. Sacou o luxo né ? O cassino é bem grade, mas as pessoas podem fumar lá dentro e isso de cara me desanimou. Detesto fumaça de cigarro, então só ficamos pouco tempo, mas fizemos questão de jogar na roleta (amo!). Adivinha só? Ganhamos!!! Fomos embora logo depois da vitória para mantermos a boa memória do lugar….

Antes de voltarmos para o navio, o Celo quis entrar no mar bem pertinho do cais. A praia estava bem cheia e ele disse que a temperatura da água estava ótima, mas eu não consegui entrar porque ainda estava mole.

dsc02466

Resumindo, Punta del Este é uma cidade fofa, com pessoas educadas, restaurante bons, noite badalada, praias boas, seguras, enfim, me pareceu um paraíso na América do Sul. Dá vontade de voltar com calma…

Nos arrumamos para jantar e comemos pratos maravilhosos (não lembro quais exatamente) e depois fomos assistir ao show do Gary Williams. Esse cara é um cantor inglês que canta clássicos de Sinatra, Gipsy Kings, etc e o show dele foi incrível. Nós adoramos. Saímos de lá tão animados que demos uma passadinha no cassino para jogar na roleta. Fiquei impressionada com a grana que as pessoas estavam dispostas a gastar ali…tinha gente com muita grana, principalmente da região centro-oeste do país.

dsc02493

Dormimos que nem pedras….

Dia 4 – terça (12/02/2013)

Acordamos e estávamos em Buenos Aires! Como é bom isso de dormir e acordar em outra cidade, né? Tão prático. Tomamos café da manhã no nosso restaurante favorito e quando acabamos, nos arrumamos para visitar a cidade portenha, que nós dois já conhecíamos. Descemos do navio e pegamos um ônibus que nos deixou no terminal de embarque e desembarque do porto, bastante luxuoso por sinal.

Lá fomos abordados por muitas pessoas oferecendo passeios, mas de novo preferimos rodar sozinhos (somos assim, aventureiros…rs). Pegamos um mapa da cidade e fomos andando em busca de ônibus até o parque Rosedal, mas como estava um calor de matar, desistimos no meio do caminho e pegamos um táxi mesmo. Descemos no Rosedal (jardim com vários tipos de rosas) e fui logo atrás de aluguel de bicicleta para repetir o que fiz em 2011 (veja aqui mais detalhes), só que agora bem acompanhada. Masssss, porém, no entanto, nos demos conta de que eles não alugam as bicicletas com cadeados, então se deixássemos a bike estacionada no Jardim Japonês, por exemplo, podíamos correr o risco de roubarem-na e teríamos que pagar por ela. Achamos melhor fazermos tudo a pé, apesar do calor…

Mostrei o Rosedal (entrada gratuita) para o Celo e ele ficou impressionado com a organização e beleza. Disse que parece com alguns lugares da Europa (eu nessa época ainda não tinha ido para a Europa, mas hoje em dia posso confirmar o que ele disse).

Depois de lá saímos andando para o Jardim Japonês (entrada paga), mas acabei passando um pouco mal e tivemos que parar para descansar. Estava muito quente e eu ainda estava mole do dia anterior, então parecia que eu ia desmaiar o tempo todo. Ao entrarmos no JJ, percebemos que estava acontecendo uma competição de pessoas vestidas de personagens de desenho animado…cada figura que vimos…rs. Ah, o Celo gostou do JJ também. 🙂

Saímos do jardim e penamos para conseguir um taxi que aceitasse reais. Conseguimos um e fomos direto para o melhor restaurante de empanadas de Buenos Aires segundo a minha sogra, San Juaninono bairro nobre de Recoleta. Ficamos um tempinho na fila, mas valeu a pena a espera. Pedimos algumas empanadas de diferentes sabores e todas estavam maravilhosas. Só não gostei muito do atendimento e da cerveja quente que nos deram…

Pegamos um táxi até o porto com um motorista super simpático. Nos arrumamos e depois voltamos para o terminal para esperar pelo transfer do evento que reservamos para a noite: show de tango, jantar e aula de dança em uma lugar chamado Sabor a Tango. Eu já conhecia o show deles da minha viagem mochilando sozinha em 2011 e escolhi novamente por causa da aula de dança de tango, que eu queria muito fazer com o Celo. A aula foi até legal, mas a comida não estava lá essas coisas e o show não foi espetacular também, então não sei se eles realmente pioraram o nível ou se foi uma azar que demos. O transfer nos deixou novamente no terminal do porto e quando chegamos no navio, demos uma passadinha no cassino para fecharmos a noite com chave de ouro.

dsc02562

Dia 5 – quarta (13/02/2013)

Acordamos um pouco tarde e nem tomamos café da manhã no navio – fomos direto para o restaurante La Cabrera, no bairro de Puerto Madeiro,  para comer uma parrilla de verdade. Pegamos um taxi bem em frente ao terminal do porto que aceitava reais e fomos. Havia uma fila enorme com grupos bem grandes esperando mesa, mas como estávamos somente em 2, demos sorte de conseguir uma mesa pequena. Sentamos do lado de fora do restaurante e fomos muito bem atendidos. Realmente a comida é uma delícia! Eles servem uns 500 acompanhamentos para a carne e todos são ótimos (essa água da foto também é uma delícia!). Entramos em pânico quando percebemos que não tínhamos pesos argentinos e nem muitos reais conosco, então o jeito foi pagar com cartão de crédito. A gente tinha esquecido de desbloquear para uso no exterior, mas graças a Deus, ele passou direitinho…rs. Não se esqueça de desbloquear o seu!

Lembrava vagamente de onde era a sorveteria Jauja, que eu tanto amei da primeira vez que fui a BsAs, e fiz questão de levar o Celo lá. Sabia que era perto do Museu da Evita, que por sua vez era perto do Jardim Zoológico, então pegamos um táxi e pedi para ele ir até o Museu da Evita. Assim que ele parou na esquina, lembrei de todos os detalhes da minha caminhada sozinha e levei meu bemzinho para conhecer a melhor sorveteria da cidade. Tínhamos pouco tempo até que o navio saísse do porto, mas foi o tempo certinho de pedirmos 2 bolas deliciosas de sabores únicos. Provamos praticamente todos antes de escolhermos… Recomendo!

dsc04095
Foto da minha viagem de 2011 – eu esqueci de tirar dessa vez!

Pegamos um táxi ali perto e fomos direto para o porto. Demos a sorte de pegar um taxista muito simpático que ficou extremamente feliz quando eu disse que havia rodado pela Argentina por 15 dias em 2011, conhecendo várias cidades. Ele brincou dizendo que eu era uma quase uma argentina, de tanto que conhecia o país, e eu confesso que me senti a rainha da cocada preta na hora! Deve ser raro para um argentino encontrar um brasileiro que conheça mais do que Buenos Aires ou Bariloche…

Voltamos para o navio e em menos de 1 hora, ele estava zarpando. Achei muito legal ver a cidade de BsAs se distanciando de nós. Dá uma olhada na vista:

dsc02586dsc02596dsc02604

Aproveitamos que estávamos ali vendo a vista e jogamos um pouco de golfe para passar o tempo. Perdi do Celo as duas vezes que jogamos…saco. Depois participamos de um quiz de músicas com mais 2 rapazes em nosso grupo, mas por pouco não ganhamos o primeiro lugar (ficamos em segundo).

dsc02610

Compramos umas bebidas e sentamos para apreciar o pôr do sol de um lugar calmo do navio. Achei lindo demais!!! Olha só:

dsc02618dsc02629

Voltamos para o quarto e nos arrumamos para o jantar, apesar de não estarmos com muita fome. Jantamos casquinha de siri, camarões empanados e um bife que tinha com cara ótima e felizmente, tudo estava muito gostoso. O melhor da noite foi provar finalmente a cerveja australiana Foster’s. Nem na Austrália conseguimos prová-la… (para saber mais sobre a nossa viagem para lá, clique aqui.)

Assistimos ao show de tango que estava passando no teatro principal e tirando o fato que o cantor velhinho era um desastre, achamos bem legal. Saímos do show e nos deparamos com um show do grupo de entretimento do navio…só músicas clássicas e o foco eram os Macho Men, que estavam fantasiados e super divertidos. As mulheres foram ao delírio…

Saímos de lá e demos uma passadinha no cassino, para fecharmos bem o dia…Vício é vício, gente. Um horror…rs.

Dia 6 – quinta (14/02/2013)

Acordamos dessa vez em Montevideo. Tínhamos somente a manhã para conhecermos a cidade, já que o navio sairia por volta de 13h. Tomamos café da manhã relativamente cedo no quarto (agendamos de graça!!) e descemos empolgados com mais uma cidade para conhecermos. Assim que nos afastamos um pouco do navio, fomos abordados por várias empresas de turismo, mas optamos novamente por fazer o city tour sozinhos, andando. Pegamos um mapa somente da parte histórica da cidade e lá fomos nós…

dsc02748

Começamos passando pela frente do Mercado del Puerto, que por causa da hora, ainda estava fechado. Passamos pelo Museu de Arte Precolombino e Indigena (MAPI), Plaza Zabala, Catedral Metropolitana, Museu Gurvich, Plaza Constitución, Museu y Archivo Historico Municipal (Cabildo), passeando na maior parte pela Peatonal Sarandí, rua somente para pedestres. Achei a rua bastante agradável com várias lojas, restaurantes, ambulantes…

Chegamos ao monumento Puerta de la Ciudadela que está na Plaza Independencia. Nesta praça estão vários edifícios importantes e imponentes, como por exemplo o prédio onde o presidente trabalha. Bem pertinho da praça está o Teatro Solís e ele é bem bonito por fora (não chegamos a entrar). Achei a cidade bem organizada, o povo educado e o clima delicioso para passear. Andamos até a rua Rambla Naciones Unidas, onde tem uma ciclovia para ciclistas e de onde é possível ver o Río de la Plata.

Voltamos para o centro histórico e continuamos passando em frente aos edifícios que o nosso guia marcava como pontos turísticos. Mais alguns museus, igrejas, enfim, não achamos nada demais e também não entramos em nenhum deles. Paramos em uma cafeteria brasileira para descansarmos, tomamos uma cerveja uruguaia e logo saímos.

dsc02732

Fomos depois para o Mercado del Puerto porque queríamos comer novamente uma boa carne uruguaia. Sentamos em um balcão de um bar que tinha uma grande grelha com todas as carnes expostas. Pedimos uma cerveja Zillertal de 1 litro (boa!!) e ficamos esperando nossas carnes chegarem. Comemos chorizos e uma costela enorme, mas essa última não estava maravilhosa não.

Estava bem preocupada com a hora, então assim que saímos dali, fomos direto para o navio. Celo ficou me perturbando todo o caminho de volta, falando que tínhamos tempo e que não precisava ter medo, mas achei melhor ignorá-lo. Chegamos a tempo no navio e finalmente pude relaxar. 🙂

Como acordamos cedo, voltamos para o quarto para dormir mais um pouquinho. Quando acordamos, já estava quase na hora da Aula de Dança de Salão que tanto queríamos fazer. Ou melhor, que eu queria que fizéssemos…rs. Fomos lá e Celo arrasou! 🙂 Ele está ficando bom nesse assunto de dança. Depois da dança ficamos um pouco na piscina, passeamos pelo navio e logo chegou a hora do jantar. Comprei o drink do dia para ficar com o copo de recordação (eles deixam!) e fomos para o restaurante. Comi uma lasanha grega vegetariana, Celo comeu um prato tailandês e pedimos também umas sobremesas, que estavam bem boas.

Fomos assistir ao show Decadance no teatro principal e achamos bem maneiro! Várias músicas que marcaram as décadas, com coreografias e fantasias bem bacanas. Depois fomos até um salão enorme onde ia acontecer o “Desafio alucinante“. Era uma gincana em que os grupos tinham que se virar para chegar com os representantes carregando algum objeto, se vestindo de uma determinada forma, etc. Foi hilário ver os grupos fazendo de tudo para ganhar a competição!

Saimos alegres e fomos mais uma vez para o cassino. Que deixar claro que nós somos bem mão de vaca e jogávamos no máximo US$20 por dia, os dois. Vimos várias pessoas entrarem com milhares de dólares nas mesas de roleta, apostando em pouquíssimos números e quase 100% das vezes perdendo TUDO. Que agonia que dava isso, viu…

Depois da jogatina, saímos para dar um rolé no navio ã noite e amei a sensação de ficar do lado de fora, olhando para aquele breu, com o vento no rosto. Me senti no Titanic com o meu Jack. ❤

Dia 7 – sexta (15/02/2013)

Dia inteiro de navegação….Eba! Sabíamos que a programação seria ótima e que poderíamos curtir ao máximo nosso último dia de cruzeiro. Fomos tomar café da manhã e depois colocamos roupa de academia para correr um pouco ao redor do navio. Quando paramos, fomos em busca de drinks (com copo de recordação, claro!) e de descanso. Queríamos tomar banho de piscina também, mas uma pessoa tinha passado mal dentro dela, e eles tiveram que interditar e fecharam por todo o dia!!! Achei uma M isso.

dsc02801

Voltei para o quarto para me arrumar e fazer a avaliação gratuita dos meus pés.  (sei lá pq eles oferecem isso, mas eu quis fazer). Deu o que eu já sabia: a minha pisada é relativamente normal, tirando o fato que não apoio os meus dedinhos no chão. Obviamente eles ofereceram uma palmilha mágica lá, que custava US$200 e que prometia o fim das dores na coluna e em outras regiões do corpo. Aham…

Sai de lá e encontrei Celo onde havíamos combinado. Já estava quase na hora da nossa aula de forró…rs. Dançamos por 1 hora e nos divertimos bastante! Em pouco tempo já era hora do jantar. Mais uma vez a comida estava maravilhosa, mas não lembro o que comemos. No final da noite, fomos assistir ao último espetáculo do cruzeiro com Luis Dalton, um cara do circo que é equilibrista. Eu achei muito bizarro!

dsc02811

Saímos de lá com o coração apertado porque sabíamos que era nossa última noite mo cruzeiro. Fomos para o cassino, bebemos algumas cervejas no bar perto do cassino com música ao vivo e depois fomos dar uma volta no cruzeiro. Fomos conhecer a boate por volta de 2h e estava tão vazia que ficamos pouco tempo e fomos dormir.

OBS: Tivemos que deixar nossas bagagens por volta de 20h fora do quarto, para que elas fossem direcionadas para os lugares de desembarque e nós só as pegássemos quando estivéssemos em Santos. Isso para mim foi muito bizarro…não tinha me preparado para carregar minha necessaire, pijama e roupa do dia anterior fora da mala. Go figure…

Dia 8 – sábado (16/02/2013)

Acordamos, arrumamos nossas malas e fomos tomar nosso último café da manhã da viagem. Infelizmente o café só estava sendo servido no restaurante com buffet. Comemos não tão bem, apreciamos a vista de Santos e ficamos esperando sermos chamados para o desembarque (eles chamam por grupos). Para nossa surpresa, eles foram extremamente organizados e o processo não foi muito demorado.

Saímos do navio, pegamos nossas bagagens e estávamos livres para irmos para a rodoviária antes de 12h.  Pena que nosso ônibus era só às 14h. Mofamos um pouco na rodoviária, num calor escaldante e quando o ônibus chegou foi um alívio ficar dentro do ar condicionado.

Pegamos o ônibus e esta foi uma das piores viagens que já fiz. Não tinha fim…viagem de dia é fogo né, fica difícil dormir com a luz e com as pessoas conversando. Fizemos praticamente uma revista inteira de palavras-cruzadas e nada de chegar. Paramos no Graal e esta foi a melhor parte da viagem de bus. Comemos hamburgueres gostosos e caros, esticamos as pernas e voltamos para nosso assentos. Conseguimos até dormir um pouco depois. Chegamos no Rio por volta de 23h, ou seja, depois de 9 horas de viagem.

Aqui vai um resumo de algumas dicas:

1: Se você gosta de caprichar na alimentação e não tem problemas com gastar dinheiro, não se preocupe. O navio possui mais 2 restaurantes pagos a parte, com culinárias variadas. Eu não fui porque não faço questão, mas tenho certeza que os pratos são mais saborosos…

2: Leve remédio para enjôo, só por precaução. Eu passei mal e não tinha nada comigo, mas eles conseguiram me entregar no quarto. Não sei se eles sempre têm disponível…

3: Não leve protetor solar em spray ou se levar, deixe para passar no quarto. Tem muita gente circulando na área da piscina e passar o protetor em spray na área externa é um pouco complicado.

4: Não é possível entrar com bebidas alcoólicas no navio. Se você comprar alguma em alguma das cidades onde o navio pára, eles apreendem e só devolvem quando o navio atracar no porto de desembarque (nesse caso, Santos).

5: Aproveite os drinks que deixam você levar o copo de souvenir. É uma ótima recordação e você não paga mais nada por isso.

6: Como fechei o cruzeiro com um agente de viagens (me arrependo), ele já incluiu todas as gorjetas no preço. Achei caro depois que vi…Pagamos US$70 para o camareiro por 7 noites, entre outras gorjetas. Atenção na hora da compra! 😉

7: Leve roupas para ocasiões formais e informais e divirta-se!

**********************************************************************

Quer ajudar o blog sem gastar nada por isso?:)

Nós ganhamos uma pequena comissão se você fizer reservas e compras pelos links abaixo:

Agradecemos de coração! ❤