Mochilões e Mochilinhas

4 dias no Algarve

Índice

Sábado (27/08/2016) – Chegando no Algarve

Como já contei neste post, saímos de Lisboa com o carro alugado, paramos em uma praia maravilhosa na região do Alentejo (Praia do Pêgo) e no final do dia seguimos para a vila de Odeceixe, no Algarve. Fizemos essas paradas estratégicas, porque a nossa base em Algarve foi na cidade de Albufeira e nós achamos que ficaria muito cansativo ir de Lisboa para lá direto (e também lemos relatos interessantes sobre essas paradas).

Assim, esse foi o roteiro que percorremos até Albufeira em dois dias:

Odeceixe

Como já falei acima, nossa primeira parada na região de Algarve foi em Odeceixe. Eu achei esta vila uma coisa fofa, porque todas as suas casas são brancas, as ruas são calmas e ainda estavam com os enfeites dos feriados de Santo Antônio, São Pedro e São João, que aconteceram em junho. Uma paz só…

Ficamos hospedados em um apartamento de 2 quartos na pousada Casa Moraisque fica na parte alta da cidade em uma rua muito estreita para passar carro. Paramos perto dela para descarregar as malas e enquanto eles foram estacionar o carro na parte baixa da cidade, eu fiz o checkin e conversei bastante com a senhorinha dona da pousada, Dona Alzira. Que simpatia!

Fiquei impressionada com a sua lucidez e animação com a vida e com o fato de tocar quase tudo sozinha da pousada, inclusive a faxina e a preparação do café da manhã. Para minha surpresa, nosso apartamento ficava no último andar da casa e tinha uma vista linda da cidade e uma varandinha deliciosa. Recomendo esse cantinho aconchegante, mas sem nenhum luxo.

Nos arrumamos e fomos jantar a pé para o restaurante indicado por Dona Alzira, o Chaparro. Como a vila é pequena, não é muito difícil encontrá-lo. Pedimos vários pratos e todos estavam gostosos, principalmente os mexilhões. Atendimento bom e vinho delicioso também (Cartuxa – dica da sogrinha). Fica a dica!

Dia 1 – domingo (28/08/2016)

Aniversário do meu bemzinho! <3

Acordamos não muito cedo, tomamos um café da manhã super caprichado feito por Dona Alzira e passeamos um pouco pelas lojinhas da vila antes de seguirmos viagem.

A nossa primeira parada foi na Praia de Odeceixe que fica a uns 10 minutos de carro da vila. Muitos carros parados pela estrada e no estacionamento que fica no topo do morro, mas nós conseguimos achar uma vaga sem muita complicação. Olha o visual lá de cima:

Descemos a ladeira e logo estávamos na areia olhando para o rio transparente e calmo na nossa direita e para o mar agitado na nossa esquerda. Montamos a barraca que compramos  bem no meio dos dois e ficamos horas ali descansando. Que delícia ficar revezando entre água doce e água salgada. Certeza que se a água estivesse um pouquinho mais quente, eu diria que era um lugar perfeito. <3

Dica: compre sua barraca para não precisar pagar uma fortuna nas praias. A nossa custou 9 euros em uma lojinha de chinês e aguentou bem os 4 dias de praia! Dizem que alugar barraca com cadeiras na praia sai em média 10 euros.

Arrifana

Saímos da praia famintos e fomos em direção ao restaurante O Paulo, em Arrifana, porque lemos algumas avaliações boas dele. Chegamos lá sem reserva e infelizmente eles já tinham fechado a cozinha, então tivemos que procurar outro lugar. Antes disso, demos uma passadinha no mirante ali perto e ficamos encantados com a vista.

Almoçamos em um restaurante bem simples chamado Brisamarcom preços e comidas ótimos. O dono fez questão de se sentar conosco e passamos a refeição inteira falando das diferenças entre Portugal e Brasil, o que fez o tempo voar.

Passamos em um supermercado e depois seguimos para a cidade de Alvor para encontrar uns tios do Celo. Acabamos passando a noite toda colocando o papo em dia e só chegamos em Albufeira às 23h (liguei antes para avisar do horário para não temos problemas com o checkin).

Albufeira

Ficamos hospedados no alojamento local Água Vivacuja diária deu 60.75 euros por quarto sem café da manhã. O alojamento é um prédio com vários apartamentos (quarto, mini cozinha, frigobar e banheiro) e se você precisar de alguma coisa, tem que ir até o balcão do restaurante que fica no térreo para pedir. Tudo é da mesma dona, que por sinal é uma fofa, então é bem tranquilo. Não é ultra mega excelente não, mas achei justo pelo preço. A praia que tem ali ao lado – Praia dos Aveiros – é pequena, vazia e com mar calminho. Vou falar mais dela mais para frente.

Dia 2 – segunda-feira (29/08/2016)

Resumo do que fizemos no dia:

Praia da Marinha

Tomamos café da manhã em uma lanchonete na cidade (nem valeu muito a pena) e depois seguimos para a praia mais bonita da região na minha humilde opinião, a Praia da Marinha. Depois de nos perdermos um pouco com o GPS, finalmente encontramos o estacionamento da praia, que apesar de bem cheio ainda tinha vagas. Paramos o carro, fomos nos mirantes apreciar as vistas (e que vistas!) e depois descemos a escadaria para aproveitar a praia. Ficamos algumas horas lá relaxando e explorando umas grutas por perto (Celo e a tia, no caso).

Praia do Buraco

Começamos a subir a escadaria e no meio do caminho, pegamos uma trilha bem curtinha para ver a Praia do Buraco. Que visual incrível! Fiquei com a impressão que só para chegar nela de barco, mas posso estar errada.

Praia de Benagil

Dirigimos até a Praia de Benagilporque queríamos fazer um passeio de barco para a gruta mais famosa da região (Benagil – uma com um buracão no meio – fotos aqui), mas os passeios já estavam lotados. A praia é legalzinha, mas é pequena e estava bem cheia, então não sei se vale a pena, sabe? Pensamos em agendar o passeio para outro dia, mas não quisemos nos comprometer com horário, então vai ter que ficar para uma próxima trip.

Prainha

Como estávamos com fome, seguimos para o restaurante Caniço, porque ele foi super indicado por alguns blogs que a minha sogra leu. Fizemos questão de ligar para reservar uma mesa para não termos problemas como nos dias anteriores e olha, valeu muito a pena! Este restaurante fica na Prainha, bem perto da Praia dos 3 irmãos, está no meio das falésias e tem uma vista linda. 

O atendimento deixou a desejar, mas a comida compensou. Comemos o caranguejo português (sapateira), bacalhau e a cataplana de polvo (essa panela aí da direita) e tudo estava ótimo, mas não necessariamente nos padrões de Portugal (by the way, tem um elevador na entrada do restaurante). Descobrimos que a mulher do dono é minha conterrânea (Dá-lhe Bahiaaaaa!!!) e que eles inclusive fazem alguns pratos brasileiros quando ela ensina para o chef. Vale a pena a visita!

Praia dos 3 irmãos

Depois do almoço passeamos pelas duas praias e passamos por várias grutas interessantes. As duas praias são bem bonitas e já penso em voltar um dia para ficar horas tomando sol. 🙂

Praia do Amado

Passamos rapidinho de carro pela Praia do Amado e depois fomos até a Praia do Carvoeiro, mas também só ficamos apreciando de cima. Achei que foi até bom não passar o dia ali, porque prefiro as praias mais isoladas.

Praia do Carvoeiro

Aproveitamos para ver o pôr do sol ali perto (lindo!) e depois voltamos para o hotel, onde comemos queijos, petiscos e tomamos um bom vinho português na varanda de nosso quarto.

Dia 3 – terça-feira (30/08/2016)

Dia de conhecer as praias de Lagos! 🙂

Resumo do que fizemos no dia:

Lagos

Tomamos café da manhã no quarto da minha sogra e saímos em direção a Lagos, pois sabíamos que as praias perto da cidade são consideradas as mais bonitas da região. Paramos o carro em um estacionamento perto da Praia da Batata (pago – 5 euros para algumas horas) e fomos direto ver os tours de caiaque disponíveis ali. Acabamos fechando com a empresa Kayak Tours um passeio de 2 horas por todas as praias da região até a Ponta de Piedade. Remamos na ida (1 hora e pouco) e na volta uma lancha trouxe todos os caiaques em fila indiana, ou seja, não tivemos nenhum esforço físico. Custou 25 euros por pessoa e valeu a pena. Recomendo!

Passamos por todas as praias – Praia da Batata, Praia dos Estudantes, Praia do PinhãoPraia da Dona Ana, Praia do Camilo e Ponta da Piedade – e só ao final do passeio paramos para descansar em uma mini praia, cujo nome não me lembro. Achei todas bem bonitas vendo do mar, mas não fiquei com vontade de parar em nenhuma delas depois do passeio. A Dona Ana, a mais famosa da região por ter recebido um prêmio há alguns anos, eu não achei nada demais, particularmente.

Quem vê do mar, vê todos os hoteis construídos atrás dela e acha a areia escura, ou seja, nem um pouco paradisíaca, sabe? O guia nos explicou que eles decidiram aumentar a praia para atrair mais turistas e trouxeram areia do fundo do mar que estava suja, estragando um pouco a beleza. Uma tristeza…No final das contas, a que achei a mais bonita foi a Praia do Camilo, mas como estava bem cheia, não paramos para descansar. Talvez chegando cedo valha a pena. Às 14h definitivamente não rolava…

PS: Infelizmente as fotos da GoPro ficaram ruins porque a capa estava embaçada. Vou ficar devendo as fotos dessas praias lindas!

Fomos passear pelo centrinho histórico de Lagos (uma graça!) e paramos para almoçar no O Pescadorum dos poucos restaurantes ainda abertos por volta de 15h com boa avaliação no TripAdvisor. Recomendamos as pataniscas da bacalhau!

Depois do almoço nós entramos na Igreja de Santo Antônio, que é considerada uma das joias de Algarve com seus azulejos, madeiras e pinturas douradas. Tivemos que pagar um valor simbólico para entrar (acho que 2 euros por pessoa) e foi possível visitar o museu. A igreja é muito linda mesmo e não dá para tirar foto lá dentro. Se estiver curioso(a), veja algumas imagens aqui.

Passeamos um pouco mais pelas ruelas fofas do centrinho e depois dirigimos até a Marinha de Lagos, que parece ter restaurantes ótimos.

Tiramos algumas fotos e partimos de carro para ver a Ponta de Piedade de cima, onde algumas pessoas elogiam o pôr do sol. É realmente bem bonito, mas vá preparado para a ventania. Que frioooo!

Voltamos para nosso hotel e jantamos de novo nossos lanchinhos na varanda do quarto. Cansaço bateu forte depois.

Dia 4 – quarta-feira (31/08/2016)

Resumo do que vimos no dia:

Praia dos Aveiros

Tomamos café no quarto e fomos a pé até a praia ao lado do nosso hotel, a Praia dos AveirosTrilha curta e bem fácil de fazer, o que faz com que a praia pequenina sem ondas fique cheia de famílias. Que delícia de lugar! Deu para andar um pouco pelo seu canto esquerdo até umas pedras e ver a Praia da Oura. Olha só:

Praia da Oura

Praia da Falésia

Depois de relaxarmos nessa praia, voltamos para o hotel para pegar o carro e dirigimos até a Praia da Falésia. Praia bonita e bem extensa, mas com mar mais agitado. Montamos a barraca e ficamos algum tempo descansando.

Centro de Albufeira

Saímos de lá famintos e fomos conhecer o centrinho histórico de Albufeira, que nada tem a ver com o lugar onde o nosso hotel estava. As ruas são bem fofas, a praia em frente é agradável e há restaurantes para todos os gostos e bolsos.

Fomos em um restaurante de frente para o mar que era bem justo, o Cais Velho. Comemos ameijôas, que são as lambretas portuguesas e estavam deliciosas! O atendimento também foi bom.

Uma coisa que achei interessante no centro é que existe uma escada rolante do lado da praia que leva as pessoas da parte baixa da cidade até a parte alta (e vice versa). Escada rolante, gente! Ao ar livre, sabe? Tomei um susto quando vi, mas é claro que subimos para ver a vista, olha:

Praia de São Rafael

Pegamos o carro no estacionamento bem perto do restaurante (7 euros para algumas horas) e fomos conhecer a Praia de São Rafael. Como chegamos no final do dia, foi só para conhecê-la rapidinho mesmo. Pareceu bem legal e ainda tem um restaurante transadinho bem na areia.

Jantamos no restaurante do hotel, Chilli Pepper, que é bem gostosinho, mas não acho que valha a pena sair do centro histórico para ir até ele não.

Quinta-feira (01/09/2016) – Saímos de Algarve

Fizemos checkout e pegamos estrada rumo à região do Alentejo, onde tivemos surpresas maravilhosas. Contei todos os detalhes neste post.

Índice

Parceiros
Recentes
Newsletter
Instagram
Facebook
Planeje sua viagem
Booking.com

Planeje sua viagem com nossos parceiros!

Ao usar os links abaixo para organizar sua viagem, você ajudará este blog a continuar existindo, já que os nossos parceiros nos repassarão uma pequena comissão. Você não pagará nada mais por isso e nós ficaremos muito felizes! :)

Conteúdo Relacionado

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter