5 dias na Costa Alentejana

Lugares visitados nessa região: Vila Nova de Milfontes, Zambujeira do Mar, Cabo do Sardão, Porto Covo, São Torpes e Almograve.

Quarta-feira – Dia 12/08/2020

Tomamos um café da manhã bem completo no nosso hotel na Praia da Luz, o  LuzMar Villas, e aproveitamos o restinho da manhã para brincar com o pequeno pelo hotel e fazer a mala (Celo e eu, respectivamente rs). Fizemos o checkout perto do horário limite e dirigimos por quase 2h até Vila Nova de Milfontes, a nossa segunda base nessa viagem de 9 dias pela Costa Vicentina.

Passamos pela cidade de Alzejur, que apesar de não ter praias parece ser bem interessante com seu castelo no topo e bairro mouros e católicos bem divididos. Como o Paddy estava dormindo e a cidade estava bem cheia, seguimos viagem para VNM.

Assim que cruzamos a ponte do Rio Mira, ficamos encantados com a beleza do lugar, mesmo com o tempo nublado. Seguimos pra cidadezinha e fomos direto à procura de um restaurante para almoçarmos, mas foi difícil encontrar um lugar aberto com mesas disponíveis. O único que ainda tinha espaço era o restaurante do hotel HS Milfontes e que descobrimos depois que funcionava num esquema all you can eat por menos de 15 euros. Ele servem de tudo, mas nada é impressionante, sabe? Comemos pizzas, massas, carnes de churrasco, sopa e até comida chinesa rs, tudo de forma rápida e prática porque o restaurante fechava às 15h e tínhamos pouco menos de 1h para nos alimentar. Foi estressante, mas ainda bem que conseguimos… Imagina não encontrar nenhum lugar aberto?

Passeamos um pouco pelas ruas dessa vila super fofa e fomos à procura do nosso hotel, o Quinta da Boavista (nota 9.0). Ele fica um pouco afastado do centro, mas tem uma área verde bem agradável, com alguns passáros e gatos circulando, 2 piscinas protegidas por grades e um casal de senhores como donos que são bem simpáticos. Deixamos as nossas coisas no quarto, descansamos um pouco e depois tomamos banho para irmos jantar.

Quando chegamos na vila, decidimos parar no Bar Azul para tomar uma Guinness e comer hamburguer. Foi uma boa pedida para quebrar a rotina de restaurantes, sabe? Sentamos em uma mesa do lado de fora e o Paddy ficou brincando de correr na pracinha em frente. Começamos com o pé direito em VNM. ❤

Quinta – feira – Dia 13/08/2020

Tomamos um café da manhã bem gostoso no hotel em uma mesa do lado de fora, super agradável. Saímos depois para conhecer a praia mais famosa da região, a Praia das Furnas, que é super indicada para quem tem crianças por ter águas calmas e mais quentes, já que é onde o Rio Mira se encontra com o Atlântico.

Estava ventando um pouco e vimos algumas famílias usando protetores de vento em suas barracas (só encontramos isso aqui em Portugal rs), mas seguimos no meio da ventania mesmo. Não levamos barraca dessa vez, então ficamos com a canga na areia curtindo a água azul, a areia branca e a vista da fofa Vila Nova de Milfontes. Quando a fome começou a apertar, seguimos para comer no restaurante da praia mesmo, o Oasis, que tinha uma avaliação boa e lugares disponíveis. Acabamos sentando na parte de dentro por causa do vento, mas imagino que sentar fora em um dia agradável deva ser espetacular por causa da vista. Pedimos uma cataplana de polvo que estava muito boa!

Depois pegamos o carro e dirimos até a famosa praia de Zambujeira do Mar, que fica a meia hora dali indo para o sul. Como o Paddy estava exausto e de barriguinha cheia, foi perfeito porque ele pôde tirar a soneca no carro e a gente conseguiu descansar também parando em alguns lugares pelo caminho, sendo um deles o Cabo do Sardão. Lindo, olha:

Em Zambujeira, conseguimos parar o carro em um estacionamento concorrido bem em frente à praia e ficamos no canto direito da praia, com direito a piscininhas bem gostosas.

No final do dia, voltamos para o hotel para tomar banho e fomos jantar em um lugar indicado pelo nosso guia e amigos também, o 18 e piques. É um bistrôzinho com pratos leves e rápidos, mesas do lado de fora com vista para a pracinha e que sempre está cheio. Sinal de comida boa, né? Sim! Valeu a pena.

Sexta – feira – Dia 14/08/2020

Mais um café da manhã completo e bora pra praia! Começamos indo para uma praia em VNM mesmo, a Praia da Franquia, que é bem calminha porque é praia do Rio Mira. Foi a água mais gelada de toda a viagem (ouch!), mas deu pra dar um mergulho super rápido e brincar bastante na areia.

Não tínhamos muito tempo livre porque havíamos reservado o restaurante Ritual para um almoço cedo, então saímos da praia e fomos a pé para lá. Olha que vila fofa:

O restaurante havia sido recomendado por amigos e pelos nossos guias, então fomos super animados para lá. Uma graça o lugar! Como reservamos um horário cedo, estava bem vazio e fomos muito bem atendidos. Pedimos vários tapas (porções pequenas de comidas) e o meu favorito foi o ceviche. Até o Paddy gostou!

Andamos até o carro que estava parado perto da Praia da Franquia e digirimos estrategicamente até Porto Covo, pois queríamos que o Paddy tirasse a soneca depois do almoço. Deu para todo mundo descansar e ainda paramos para aproveitar o visual das praias da região, mas não chegamos a parar em nenhuma delas para banho. Confesso que fiquei com vontade de entrar na Praia dos Buizinhos, mas como estava muito animada com a água do mar quente da Praia de São Torpes, seguimos direto para lá.

No caminho já conseguimos ver a Central Termoeléctrica de Sines, a grande responsável pelo “fenômeno” da água quente do mar em Portugal. Que tristeza, né gente? Só assim pra ter água quente aqui….rs. Só de pensar que minha Bahia tem aquela água deliciosa sem precisar de nada disso…ê saudade! Mas voltando…a termoelétrica é horrenda e claro que deixa o visual da região mais feio, mas foi maravilhoso colocar os pés na água quente. Quase chorei de emoção! HAHAHA

Paramos o carro bem perto das pedras, pois sabíamos que a água quente da usina saía dali, e ficamos um bom tempo aproveitando o lugar. Patrick entrava e saía da água feliz da vida, igual a pinto no lixo, enquanto eu e Celo ficamos direto na água em êxtase. Só saímos de lá porque o vento começou a ficar punk e ficamos preocupados com o Paddy, mas valeu muito a pena! Lemos em vários lugares que a água é limpa e segura para banho, mas eu confesso que fiquei um pouco bolada com as partículas pretas na água… Que Deus nos proteja!

Saímos revigorados depois desse banho de mar quente e fomos para o hotel tomar banho e sair para jantar. Escolhemos a Pizza La Sicilienne para dar uma quebrada nas comidinhas portuguesas e como o lugar vende pizza para takeaway, acabamos sentando numas mesas improvisadas do lado de fora e jantando por lá mesmo. Muito boas as pizzas!

Sábado – Dia 15/08/2020

Depois do café da manhã delicioso, partimos para conhecer a Praia do Almograve. Que lugar lindo! Já sabíamos que era uma praia com muita onda, mas ficamos no canto direito e deu pra mergulhar sem muitas dificuldades.

Saímos de lá na hora do almoço e fomos à procura de restaurantes de frutos do mar, mas todos estavam cheios. Acabamos indo no único restaurante que tinha mesa disponível, o Mar Azul, que para a nossa surpresa era NEPALÊS! Isso mesmo…. Pq não arriscar, né? Olha, o ambiente é bem anos 90, o garçom era simpático mas um pouco confuso, mas vamos ao que importa: a comida era BOA! Pedimos várias coisas recomendadas pelo garçom e só não gostamos de uma entrada lá, cujo nome não lembro mais, então o saldo foi bastante positivo.

Saímos satisfeitos e dirigimos até novamente a Praia das Furnas, mas dessa vez ficamos na parte do mar mesmo, com mais ondas. Pegamos o início de um pôr do sol lindo demais. ❤

Voltamos pro hotel pra nos arrumar e fomos jantar novamente no 18 e Piques, pois estávamos com pouca fome depois do almoço nepalês giga. Ê lugarzinho gostoso pra acabar a noite…

Domingo – Dia 16/08/2020

Último café da manhã no hotel…. ô tristeza que dá voltar pra casa, né? Tristeza e felicidade ao mesmo tempo, não sei explicar bem. Arrumamos as coisas, fizemos o checkout e fomos conhecer a última praia da nossa lista, a Praia do Malhão. Não chegamos a parar nela para banho, mas ficamos passeando pelos passadiços com vistas espetaculares. Olha só:

Depois de lá fomos para o Restaurante Tasca do Celso, pois havíamos feito uma reserva na quinta-feira para o único horário disponível da semana, domingo. É um lugar bem concorrido pelo que deu pra ver, mas com atendimento, ambiente e comida impecáveis. Pedimos um peixe na brasa divino que fechou com chave de ouro a viagem! Voltamos direto pra nossa casinha. ❤


Saiba mais sobre nossas viagens por PORTUGAL aqui.

Quer ajudar o blog sem pagar nada por isso? Basta usar os nossos links para ganharmos uma comissão dos parceiros abaixo:

Thanks! 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: