Dia 1 – quinta-feira (24/09/2015)

Saímos de Bolonha no meio da manhã e chegamos na estação de trem em Florença (Santa Maria Novella) pouco depois de meio dia. Passamos no centro de turismo que fica logo em frente à estação e seguimos a indicação da atendente de irmos andando até a nossa hospedagem. O apartamento que alugamos é relativamente perto da estação de trem, mas também é bem perto da Duomo, que é a principal atração da cidade.

Ele está localizado em uma rua bem calma, em um prédio típico, então dá para se sentir até um local. O nome do apê é Crystal Ship Apartment e nós pagamos 85 euros pela diária. Achamos o banheiro muito pequeno, o wifi não funcionou nas duas noites que estivemos lá e apesar de ter que subir 3 lances de escadas apertadas, foi uma experiência interessante.

DSC07197

DSC07200

DSC07201

DSC07206

DSC07207

Como a gente chegou antes do horário de checkin (17h), nós deixamos as nossas malas com o responsável pelo apartamento, que mora no primeiro andar do prédio, e saímos para passear. A nossa primeira parada foi na Duomo, que realmente merece todos os elogios que possui. A Catedral de Santa Maria del Fiore é lindíssima por fora com sua fachada neogótica em 3 cores – branco, verde e rosa. Ela começou a ser erguida em 1296, mas a sua construção se estendeu por cerca de 150 anos. A famosa cúpula do artista Fillipo Brunelleschi, por exemplo, só foi construída entre 1420 e 1436. Já a sua fachada neogótica foi projetada no século XIX para substituir a original, do século XVI.

DSC07085

DSC07088

Ao entrarmos na Catedral, confesso que me decepcionei um pouco. Eu estava esperando algo estonteante, talvez porque eu tenha me encantado com seu exterior, mas depois entendi o motivo de ser tão “pobre” visualmente falando: a maioria dos tesouros artísticos que ali estavam foi removida com o passar dos séculos e está exposta no Museo dell’Opera di Santa Maria de Fiore, que estava fechado.

DSC07107

DSC07106

DSC07109

Depois de passearmos por ela, descemos para a cripta, onde compramos o ingresso combinado (cúpula + batistério + campanário + cripta + museu) por 10 euros por pessoa. Se você quiser visitar apenas a Catedral, não precisará pagar nada, mas eu recomendo a visita ao batistério, que fica bem em frente e tem a mesma identidade visual, e também a subida à cúpula. Como o ingresso é valido por 14h, nós decidimos visitar a catedral, o batistério e a cripta neste dia e deixamos a subida à cúpula para o dia seguinte. (o museu estava fechado e a subida ao campanário me pareceu redundante, já que ele é mais baixo que a cúpula e fica ao lado dela). A cripta não me impressionou, mas eu achei o Battistero di San Gioavanni lindo!

DSC07118

DSC07116

Como estávamos famintos e tínhamos relativamente pouco tempo para comer, fomos direto em um restaurante indicado por uma amiga, o La Prosciutteria. Ela me disse: eles têm sanduíches maravilhosos e eu realmente tive que ir experimentar! Ele fica perto da Piazza della Signoria e tem um sanduíche melhor que o outro, por 4.50 euros. Nós pedimos dois grandes e o que eu mais gostei foi o de prosciutto + queijo pecorino (típico da Itália).

DSC07140

Saímos de lá muito satisfeitos e passamos pela Piazza della Repubblica antes de chegarmos a Galleria dell’Accademia.

DSC07102

Chegamos no local para retirada do bilhete (compramos online – 16.50 euros por pessoa – agendamos para 16h), que fica do lado oposto da entrada do museu, e quando descobri que tinha uma fila para entrar sem nenhum controle de horário, fiquei P da vida. Para quê vender com horário marcado então? Ficamos meia hora na fila e para piorar, ainda vi gente sem ingresso na fila ao lado entrando antes de mim. Não faz sentido algum este processo! 😦 Esta galeria é bem pequena e acho que dá para ser visitada em um hora, fácil. A sua principal obra é a estátua de Davi, do Michelangelo, que realmente é impressionante. A perfeição das curvas e dos detalhes desta estátua encravada em uma única peça de mármore é de arrepiar.  Ah! Eu adorei o corredor que leva ao Davi, porque dá para ver várias estátuas do Michelangelo inacabadas. O cara era um gênio mesmo!

DSC07154

DSC07165

DSC07171

DSC07173

DSC07160

Ficamos passeando pela região, sem compromisso ou pressa. Fiquei impressionada com a quantidade de lojas e stands de feiras com acessórios em couro legítimo italiano. Os milhares de turistas circulando indo a loucura…

DSC07183

DSC07127

Passe a mão no focinho!
Todo mundo passa a mão no focinho…dá para ver, né?

Quando escureceu, nós escolhemos o restaurante Trattoria L’Oriuolo, por ter excelente avaliação no TripAdvisor e por ainda oferecer 15% de desconto caso reservássemos a mesa por ali. Fizemos isso e tivemos um ótimo jantar! O bom é que nem precisamos andar muito para o nosso apê.

DSC07192

MAPA DAS ATRAÇÕES VISITADAS NESTE DIA:

day 1 florence

Dia 2 – sexta-feira (25/09/2015)

Começamos o dia tomando café da manhã em uma padaria ali perto, pois não nos planejamos para tomar em nosso apartamento. Pegamos uma fila enorme para subir os 463 degraus da cúpula, mas valeu muito a pena. Já aviso que a subida é tensa, porque é tudo apertado e as pessoas sobem e descem pelo mesmo caminho, então você tem que se espremer para dar passagem. No final das contas, compensa…

Na fila...
Na fila…

DSC07215

DSC07239

DSC07230

DSC07233

DSC07226

DSC07247

DSC07255

DSC07256

Descemos com as pernas ainda bambas, paramos para tomar um sorvete maravilhoso no fofíssimo La Milkeria e seguimos até a Basilica di Santa Croce. Pagamos 6 euros por pessoa para entrar porque queríamos ver os túmulos de alguns florentinos famosos, entre eles Michelangelo, Galileu e Maquiavel. A igreja é bem simples por dentro, se comparada ao seu exterior lindíssimo, mas os túmulos são bem interessantes. Não deixe de passear pelo jardim e visitar as salas e capelas ao redor dele.

DSC07297

DSC07305

DSC07306

DSC07317

DSC07320

DSC07322

DSC07327

Ficamos tão apaixonados pelo sanduíche que comemos no dia anterior, que decidimos voltar para aquela rua e experimentar os sanduíches de um concorrente lotado, o All’Antico Vinaio. Ficamos na fila uns 10 minutos e escolhemos dois sanduíches aleatórios que também estavam ótimos, mas que custaram 50 centavos mais caros que os de ontem…rs. Valeu a pena, anyway!

DSC07144

Fomos andando com nossos sanduíches e ficamos apreciando a Ponte Vecchio, que cruza o rio Arno, até terminarmos de comer. Esta ponte medieval é bem interessante, porque possui joalherias em toda a sua extensão. A história diz que Ferdinando I de Médici retirou todos os açougueiros que tinham ali, porque ele não gostava do cheiro do local quando passava pelo Corridoio Vasariano, que é uma passagem  que liga a Uffizi ao Palazzo Pitti.

DSC07344

DSC07347

DSC07350

DSC07363

DSC07351

DSC07360

Nós cruzamos a ponte e só passamos em frente ao Palazzo Pitti, pois tínhamos hora marcada para visitar a Galleria degli Uffizi (compramos online – 16.50 euros por pessoa). Mesmo com ingressos comprados com horário marcado, pegamos uma baita fila com pessoas de horários aleatórios. A frustração foi menor que o dia anterior, porque eu já estava preparada… Esta galeria é ENORME (45 salas com 1500 obras) e como nós somos bem objetivos, focamos em conhecer apenas as principais obras apontadas pelo nosso guia. Demoramos umas 2 ou 3 horas lá dentro…

Palazzo Pitti
Palazzo Pitti

DSC07373

DSC07383

Saímos de lá exaustos e paramos em um restaurante bem turístico na Piazza della Signoria para beber vinho e relaxar. Ficamos apreciando o Pallazo Vecchio (prefeitura e câmara municial), a Fontana di Nettuno e as diversas réplicas de estátuas dentro do Loggia dei Lanzi. Vale a visita!

DSC07393

DSC07135

DSC07136

Como o Celo estava com vontade de experimentar a famosa bistecca fiorentinanós procuramos um restaurante no TripAdvisor que fosse famoso por este prato. Acabamos escolhendo o Trattoria Osteria Da Que’ Ganzi, que é um restaurante bem acolhedor em uma rua calma da cidade. Nós chegamos lá cedo e conseguimos uma mesa para vinte minutos depois e para nossa surpresa, fomos atendidos pelo dono, que é um cara muito simpático e muito interessado em agradar seus clientes. Nós explicamos que queríamos provar a bistecca e ele prontamente nos indicou o melhor vinho para acompanhar, as melhores entradas, os melhores acompanhamentos…Foi o melhor jantar de toda a viagem, com certeza! O mais caro também (80 euros), mas valeu cada centavo. A bistecca estava divina e posso dizer que foi uma das melhores carnes que já comi na minha vida (se não a melhor!). RECOMENDO!

DSC07421

DSC07427

MAPA DAS ATRAÇÕES VISITADAS NESTE DIA:

Day 2 florenca

Dia 3 – sábado (26/09/2015)

Entregamos a chave do apartamento e fomos para o Mercato Centrale da cidade, que é o paraíso para quem gosta de mercadões ( a gente! ). Passeamos por ele com vontade de comprar tudo e escolhemos uma barraca para comprar sanduíches enormes e saborosos, com muito prosciutto e muito queijo gordo. Este foi o nosso café da manhã. Que delícia!

DSC07436

DSC07440
Massas de todos os tipos e cores

DSC07441

Seguimos andando com as nossas malas até o local onde pegaríamos o carro da Álamo, que fica bem perto da estação de trem Santa Maria Novella. Não entramos na igreja de mesmo nome, pois achávamos que íamos conseguir fazer quando voltássemos para devolver o carro, mas no final das contas, não deu tempo e eu estou aqui arrependida.

Lição aprendida: nunca deixar para amanhã o que dá para fazer hoje.

Pegamos o carro sem problemas e ficamos 100% ligados nas placas de Traffico Limitato, que indica zonas apenas para moradores. Demos um pulinho na Piazzale Michelangelo e adoramos a vista! Olha só:

DSC07458

Partiu viagem romântica pelo interior da Toscana ❤

***********************************************************************

Quer saber tudo sobre a nossa viagem de 14 dias pela Itália? É só clicar nos links abaixo:

***********************************************************************

Quer ajudar o blog sem gastar nada por isso?:)

Nós ganhamos uma pequena comissão se você fizer reservas e compras pelos links abaixo:

Agradecemos de coração! ❤